Ludologia/Game Studies » Criticismo Ludológico

OKAMI: Caligrafia da Vida

OKAMI (lobo), é um jogo para a PS2 que é uma verdadeira Obra de Arte. Baseado nas lendas japonesas, OKAMI é um jogo soberbo, sem dúvida, um dos melhores, senão o melhor jogo que alguma vez foi produzido para a PS2. Como sempre acontece, jogos destes demoram, não um, nem dois nem três anos a aparecer mas sim, uma geração.

 

 

 

 

 

 

O enredo é simplicíssimo, longe das tramas complexas de um MGS ou de um FFantasy, contando como um guerreiro heroicamente derrotou Orochi, um monstro de nove cabeças. No jogo, esse guerreiro tem a preciosa ajuda de Amaterasu, a Deusa do Sol que, no mundo dos humanos, assume a forma de Loba. Cem anos após a derrota de Orochi, o mundo volta a tremer com a visão de uma imensa praga que infestou e «escureceu» toda a Natureza.

O enorme monstro de nove cabeças regressa e mais forte que nunca. Amaterasu acorda novamente no sentido de tentar deter o enorme demónio que tudo ataca e ameaça, mas um século é muito tempo até para os deuses. Significativamente enfraquecido, Amaterasu terá de percorrer todo o Nippon de forma a restaurar o poder natural, ajudando os humanos com que se vai cruzando e recebendo a benção de todos os outros deuses. Amaterasu é mestre do Celestial Brush, um Pincel sagrado que (re)desenha a Vida. É com essa «arma» que Amaterasu derrota os seus rivais, incluindo o próprio Orochi, sendo, sem dúvida, em termos de jogabilidade também, das características mais inovadoras do jogo.Em termos gráficos, os ecrãs são autênticas telas de aguarelas, por vezes, assumindo uma realidade pictórica que, aliás, acaba de ser premiada no Japão (o seu artista gráfico é KAMIYA Hideki) com o «Grande Prémio de Art-Secção  Entretenimento e diversão»  no 10º Japan Media Arts Festival 2006. (a continuar...)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

voltar


Enviar    Imprimir

Copyright © 2017 | Luis Filipe B. Teixeira
powered by: CANALPT
Creative Commons License